domingo, 11 de outubro de 2015

II Oficina de Rajão - 2015


A Associação Musical e Cultural Xarabanda, promoveu na sua Sede, Travessa das Capuchinhas n.º 4, a II Oficina de Rajão, nos dias 23, 25, 26, 29 e 30 de Setembro e 02 e 03 de Outubro, sob a orientação do professor Roberto Moniz e que teve como patrocinador a Câmara Municipal do Funchal. A apresentação dos trabalhos realizou-se no dia 03/10/2015 na Avenida Arriaga no âmbito da Feira do Livro e contou com uma Orquestra de 22 Rajões, embora na formação tivessem frequentado 24 elementos.


Cartaz: Catarina Nunes
  
Os objetivos deste trabalho prático prenderam-se por: 
- Proporcionar um primeiro contacto com o instrumento (Rajão);
- Conhecer e executar os principais ritmos dos géneros musicais madeirenses;
- Desenvolver técnicas de execução básicas e/ou mais elaboradas.
- Despertar o interesse e aumentar o número de praticantes para a prática dos cordofones tradicionais madeirenses.



Este foi mais um projeto intergeracional em defesa da identidade cultural madeirense.

Aqui ficam algumas fotos do desenrolar dos trabalhos na sede da Associação Xarabanda

Fotos: Roberto Moniz




Aqui ficam algumas fotos do desenrolar dos trabalhos na apresentação na Avenida Arriaga.
Fotos: Catarina Nunes











II Oficina de Rajão - 2015


A Associação Musical e Cultural Xarabanda, promoveu na sua Sede, Travessa das Capuchinhas n.º 4, a II Oficina de Rajão, nos dias 23, 25, 26, 29 e 30 de Setembro e 02 e 03 de Outubro, sob a orientação do professor Roberto Moniz e que teve como patrocinador a Câmara Municipal do Funchal. A apresentação dos trabalhos realizou-se no dia 03/10/2015 na Avenida Arriaga no âmbito da Feira do Livro e contou com uma Orquestra de 22 Rajões, embora na formação tivessem frequentado 24 elementos.


Cartaz: Catarina Nunes
  
Os objetivos deste trabalho prático prenderam-se por: 
- Proporcionar um primeiro contacto com o instrumento (Rajão);
- Conhecer e executar os principais ritmos dos géneros musicais madeirenses;
- Desenvolver técnicas de execução básicas e/ou mais elaboradas.
- Despertar o interesse e aumentar o número de praticantes para a prática dos cordofones tradicionais madeirenses.



Este foi mais um projeto intergeracional em defesa da identidade cultural madeirense.

Aqui ficam algumas fotos do desenrolar dos trabalhos na sede da Associação Xarabanda

Fotos: Roberto Moniz




Aqui ficam algumas fotos do desenrolar dos trabalhos na apresentação na Avenida Arriaga.
Fotos: Catarina Nunes











segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Oficina de Rajão

A Associação Musical e Cultural Xarabanda, está a promover na sua Sede, Travessa das Capuchinhas n.º 4, uma Oficina de Rajão, que conta com o patrocínio da Câmara Municipal do Funchal. 

Estes trabalhos práticos iniciaram-se no dia 14 do mês de Novembro e terminarão com uma apresentação final que se realizará no Hall do Teatro Municipal Baltazar Dias, no dia 29 de Novembro às 21:30h.

  





Os objetivos deste trabalho prático são: 

- Proporcionar um primeiro contacto com o instrumento (Rajão);
- Conhecer e executar os principais ritmos dos géneros musicais madeirenses;
- Desenvolver técnicas de execução básicas e/ou mais elaboradas.
- Despertar o interesse e aumentar o número de praticantes para a prática dos cordofones tradicionais madeirenses.


Este é mais um projeto intergeracional em defesa da identidade cultural madeirense.

Aqui algumas fotos do desenrolar dos trabalhos.

Fotos: Rui Camacho








Oficina de Viola de arame

A Associação Musical e Cultural Xarabanda, promoveu na sua Sede, Travessa das Capuchinhas n.º 4, uma Oficina de Viola de Arame, que contou com o patrocínio da Câmara Municipal do Funchal. 

Estes trabalhos práticos tiveram como formador o professor: Roberto Moritz e decorreram nos dias 17, 18, 24, 25 e 31 do mês de Outubro.

A apresentação dos trabalhos realizou-se no dia 1 de Novembro, no Hall do Teatro Municipal Baltazar Dias.




Os objectivos deste trabalho prático foram: 

- Proporcionar um primeiro contacto com o instrumento (Viola de Arme);
- Conhecer e executar os principais ritmos dos géneros musicais madeirenses;
- Desenvolver técnicas de execução básicas e/ou mais elaboradas.
- Despertar o interesse e aumentar o número de praticantes para a prática dos cordofones tradicionais madeirenses.


Este foi um projeto intergeracional em defesa da identidade cultural madeirense, nomeadamente o património musical e cultural da região.

Fotos: Rui Camacho









Apresentação no Hall do Teatro Municipal Baltazar Dias dia 1 de Novembro





A alegria e boa disposição reinaram desde o primeiro ao último dia.

Vem aí uma orquestra de Violas de Arame.

Obrigado a todos os participantes!